Ministro do turismo é exonerado pelo presidente Bolsonaro




Presidente Jair Bolsonaro exonerou o então Ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio. O decreto assinado pelo Chefe do Estado foi publicado no Diário Oficial da União nesta quarta-feira (06). Segundo fontes, a decisão teve como base as denúncias recebidas do Ministro.

Ministro do turismo é exonerado pelo presidente Bolsonaro. (foto: internet)
Ministro do turismo é exonerado pelo presidente Bolsonaro. (foto: internet)

Siga A Folha Hoje no Google News – Clique Aqui!

Exoneração do Ministro

Marcelo Álvaro Antônio, foi exonerado do seu cargo de Ministro do Turismo nesta quarta-feira (06/02). O decreto assinado pelo presidente da república foi publicado no Diário Oficial da União e pode ter sido movida por denúncias que o político recebeu ao longo desta semana.

As denúncias estavam relacionadas a um desvio de dinheiro feito por Marcelo Álvaro Antônio nas últimas eleições. Ao ser questionado quanto ao caso, o vice-presidente Hamilton Mourão afirmou que se as acusações forem verdadeiras o caso é muito grave.

Leia Também:

Estado de saúde de Bolsonaro piora e alta é adiada

Apartamento que Bolsonaro disse ter colocado à venda, será ocupado por filho

Razão da exoneração

Segundo informações, existe a possibilidade da decisão não ser mais do que uma formalidade para que o ex-ministro tome posse na Câmara dos Deputados. Antônio, que foi o segundo deputado mais votado em 2018, é o único integrante do governo que ainda não tomou posse no seu novo cargo.

No entanto, para que ele possa assumir, é preciso que ele seja exonerado do seu cargo no Executivo. Mas essa é apenas uma hipótese, visto que o decreto assinado pelo presidente não detalhou nenhuma justificativa para a tomada de decisão de exoneração. Além disso, nenhum dos membros do governo quis se pronunciar sobre a decisão.

Ministro do turismo é exonerado pelo presidente Bolsonaro. (foto: internet)
Ministro do turismo é exonerado pelo presidente Bolsonaro. (foto: internet)

Sobre as denúncias

De acordo com a denúncia feita pela Folha de S. Paulo, o ex-ministro do turismo usou quatro candidaturas para conseguir fazer o direcionamento de verbas públicas da campanha para algumas empresas relacionadas aos seus assessores.

Ao ser questionado quanto a essa atividade, a assessoria do político negou qualquer tipo de denúncia ao declarar que o ex-ministro “refuta veementemente a suposição com base em premissas falsas de que houve simulação de campanha com laranjas no partido”.

Além disso, ele ainda declarou que esse tipo de acusação subestima a democracia e até mesmo o poder de análise de todos os eleitores. Agora, espera-se que algum dos representantes do governo faça declarações para esclarecer o caso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here