Brasil x Japão

Brasil vs Japão: E se aquele pênalti não tivesse acontecido?

Tudo poderia ter sido diferente na partida entre Japão x Brasil, confira…

Acordar às 7h da manhã pra ver um amistoso entre Brasil e Japão é algo que exige muito atualmente. E por que? Porque não há muita identificação com a seleção, mesmo a gente “voando” no ponto de vista histórico e resultadista. Mas não há show, aqueles craques driblando meio mundo.

E por quê não há? Bom, se você nos acompanha, é capaz de ter lido minha análise sobre o futebol tático diante do confronto entre Palmeiras e Atlético Mineiro na 9a rodada do Brasileirão. O que vemos no Brasileirão é um reflexo do futebol: não há mais bobo.

Não tem mais como meter goleadas nos times sulamericanos, 5, 6, 7 a 0 na Venezuela, Bolívia, Paraguai… O futebol está mais tático e isso vale para as seleções que, principalmente, disputarão a Copa.

Obviamente que ainda existem times ruins (Coreia do Sul, por exemplo! 5 a 1 com responsabilidade: somos melhores? Então goleia!), mas em sua grande maioria, os times são bem treinados, principalmente defensivamente. Mesmo com a grande quantidade de jogadores defendendo a grande área japonesa, a seleção brasileira foi muito superior.

O time foi a campo com Alisson, Dani Alves, Arana, Militão e Marquinhos; Casemiro, Fred, Paquetá; Neymar, Raphinha e Vini, onde Ney atuou muito bem sendo muito participativo e flutuando entre os adversários no meio. Ele tem que ser aquele jogador Coringa que aparece em todos os lados, arma a jogada e aparece por trás pra bater. A defesa do Brasil foi boa e acredito que Militão e Marquinhos devam ser os titulares.

Ter https://afolhahoje.com/wp-content/uploads/2020/09/ISLA.jpg Alves talvez seja algo que não temos opção por falta de um nome forte na disputa e, apesar de muito técnico, coloco (e muitos também) em dúvida se ele aguentaria os jogos de mata-mata em altíssimo nível tático e físico aos quase 40 anos. O mesmo vale para Thiago Silva.

Ninguém duvida da qualidade e história deles, mas não tem como os dois jogarem juntos contra uma França, por exemplo. Nossa defesa será sobrecarregada fisicamente a partir do segundo tempo. Ambos seriam melhores opções para entrar no decorrer da partida.

E Arana? Não espere ver o mesmo Arana do Atlético. Aquele lateral vertical que cruza bem? Não teremos, e aposto com qualquer um: não veremos um gol do Brasil que terá início em um cruzamento dos laterais.

Tite não é desses de fazer chuveirinho. Seus laterais sempre foram de marcação no carro-chefe, vide Fagner e Alessandro no Corinthians! E o estilo dele é esse: marcação forte e passes rápidos ao ataque, com muita triangulação. Se Arana quiser ir pra Copa (e tenho certeza de que irá), deverá priorizar a marcação.

Leia Também: Análise detalhada sobre a partida entre Palmeiras x Atlético-MG

E já que falamos da triangulação, essa foi a primeira vez que Vini, Ney, Paquetá e Raphinha jogaram inicialmente juntos. Dos atacantes convocados, dá pra arriscar 5 dos 8 que estarão na Copa: Neymar, Vini, Raphinha, Rodrygo e Richarlison.

As últimas 3 vagas estão em disputa por Gabriel Jesus (provavelmente, por ser ponta também), Matheus Cunha, Hulk, Gabi, Antony e Gabriel Magalhães. Pelo estilo de Tite de grande movimentação, Gabriel Jesus deve ir pra Copa, mesmo que saia do Manchester City. Antony e mais um centroavante (Hulk, Gabi ou Cunha) devem assumir a última vaga, onde Cunha tem mais crédito (Sabe-se lá por quê…).

E no meio? Coutinho fez o gol contra a Coreia e vem crescendo pelo Aston Villa, mas… é o Aston Villa, não dá pra superestimar muito o grande papel dele lá: é obrigação ele ser o melhor. Mas ele e Paquetá brigam pela titularidade. Neymar exerce essa função e quem poderia ser a quarta opção? Raphael Veiga do Palmeiras e Everton Ribeiro do Flamengo.

Em caso de 26 convocados (o que provavelmente será oficial nos próximos meses), escolheria Veiga, se mantiver o alto nível em contraponto ao seu rival carioca, mas não devemos ter mais do que 2 amistosos em setembro, o que dá crédito ao Everton, pois já conhece o grupo (e o Tite é cabeça dura…)

Mesmo se aquele pênalti contra o Japão não tivesse sido marcado (e poderia muito bem não ter sido!), o Brasil jogou bem, mas errou muito a pontaria, podendo ter feito uma segunda goleada. Mas, sem dúvida, o amistoso de ontem foi marcado para Tite ter certeza de que pode fazer modulações táticas com Vini e Raphinha no ataque e armar uma defesa com Militão e Marquinhos. Duas escolhas certeiras que com tempo de entrosamento serão muito benéficas na Copa.

Estamos caminhando bem, há esperança para o Hexa com essa defesa e esse ataque versátil, mas precisamos de mais participação de Vini Jr. para darmos mais individualismo nas pontas da seleção e um meio campo que não dependa do Neymar (e hoje provamos depender muito ainda). E, Tite, por favor… levou o Danilo do Palmeiras? Bota o moleque pra jogar… ou então não leva! 

Os 26 convocados do Tite, se a Copa fosse hoje, seriam: 

Goleiros: Alisson, Ederson e Weverton; 

Zagueiros: Marquinhos, Militão, Thiago Silva e Gabriel Magalhães (x Léo Ortiz);

Laterais: Dani Alves, Danilo, Arana, Alex Sandro (x Alex Telles); 

Volantes: Casemiro, Fabinho, Fred e Bruno Guimarães (x Danilo);

Meias: Paquetá, Coutinho e Everton Ribeiro (x Veiga)

Atacantes: Neymar, Richarlison, Vini Jr., Rodrygo, Raphinha, Gabriel Jesus, Antony (x Gabi x Magalhães) e Cunha (x Hulk).

Podem me cobrar, muito provavelmente essa será a nossa seleção (gostando ou não)

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous Post
Copa do Brasil

Simplesmente a Melhor Copa do Brasil de todas

Next Post
Coritiba x São Paulo

Coritiba 1 x 1 São Paulo – Outro Empate…

RELACIONADOS
Anúncios